sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Lucas Mebrouk Dolega

O fotógrafo franco-alemão Lucas Mebrouk Dolega, que trabalhava para a agência EPA e tinha ficado gravemente ferido na Tunísia, morreu esta segunda-feira. A França condenou a “violência desproporcionada” e apelou a que sejam apuradas as circunstâncias da morte.


A morte de Lucas Dolega já tinha sido anunciada no domingo, mas foi desmentida mais tarde por informações que referiam que o fotógrafo estava gravemente ferido. Esta segunda-feira a agência EPA acabou por confirmar que Dolega, de 32 anos, morreu ao início da tarde.

“Recebemos a confirmação oficial de que Lucas Mebrouk Dolega morreu, adiantou uma responsável da EPA. A confirmação teve origem na embaixada francesa em Tunes e em informações dadas por familiares do fotógrafo, adiantou a AFP.

Lucas Mebrouk Dolega estava a acompanhar os protestos na Tunísia em frente ao Ministério do Interior tunisino quando foi atingido, na sexta-feira de manhã, por uma granada de gás lacrimogéneo atirada por um polícia, segundo o relato de um dos seus colegas, Julien Muguet.

O fotógrafo foi atingido numa orelha e na cabeça, do lado esquerdo. Foi operado no Instituto Nacional de Neurocirurgia de Tunes mas não resistiu aos ferimentos.

A França condenou o emprego de “uma violência desproporcionada” e apelou a que sejam esclarecidas as circunstâncias em que o fotógrafo foi ferido. “Reiteramos a nossa condenação de qualquer forma de violência e de uso da força que fez inúmeras vítimas na Tunísia nas últimas semanas”, adiantou à AFP o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros francês Bernard Valero. Também a organização Repórteres sem Fronteiras apelou a que sejam esclarecidas as circunstâncias da morte.

Nascido em Paris, filho de mãe alemã, Lucas Dolega trabalhava na agência EPA desde 2006.






Sem comentários:

Enviar um comentário