segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Henri Cartier-Bresson

Henri Cartier-Bresson, nascido em 1908 em França, é considerado um dos fotojornalistas mais importantes do século XX. Em 1931 descobriu verdadeiramente a fotografia numa viagem a Marselha.
Henri Cartier-Bresson
Quando começou a Segunda Guerra Mundial, Bresson, serviu o exercito Francês. Durante a evasão alemã foi capturado e levado para um campo de prisioneiros, do qual conseguiu fugir só à terceira tentativa. 

Depois da paz estar estabelecida fundou a agência Magnum com Bill Vandivert, Robert Capa, George Rodger e David Seymour.


Foi contratado por revistas como a LifeVogue e Harper's Bazaar para viajar pelo mundo e registar imagens.


Assim, tornou-se o primeiro fotografo da Europa Ocidental a fotografar a vida na União Soviética de forma Livre. Fotografou, também, os últimos dias de Gandhi e os eunucos imperiais chineses, após a Revolução Cultural.


http://www.henricartierbresson.org/index_en.htm

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Elizabeth Kreutz


Na semana em que Lance Armstrong abandona o ciclismo, trago Elizabeth Kreutz. 
Eugene Kreutz
Kreutz é uma fotojornalista independente especializada em desporto. Tem viajado à volta do mundo e assim conseguido fotos exclusivas de Armstrong, da equipa Discovery e Astana. Também fotografou os Jogos Olipicos de Inverno de 2006, em Torino, e os Jogos Olimpicos de Pequim em 2008.




Em 2010 venceu o primeiro prémio World Press Photo para "Histórias".






terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Sebastião Salgado

Sebastião Salgado é um fotojornalista Brasileiro nascido em 1944.  Foi nomeado em 2001 representante especial da UNICEF e dedicou-se a fazer cronicas sobre a vida de pessoas exluida, trabalho que resultou na publicação de dez livros e a realização de várias exposições.

Sebastião Salgado
 Ganhou também vários prémios na Europa e no Continente Americano.


Entre os prémios conta com um World Press Photo, Prémio Unesco na categoria cultural no Brasil, Prémio de Asturias das Artes em 1998, foi eleito membro honorário da Academia Americana das Artes e Ciencia, entre outros.


Em 1994 fundou a sua própria agência de notícias, a "As imagens da Amazónia".




Biografia - The Guardian

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Power of Photojournalism

Greg Marinovich

Greg Marinovich é um fotojornalista nascido em 1962 na Africa do Sul e vencedor de um Pulitzer Prize. Foi membro do Bang Bang Club e autor do livro sobre o grupo.

Greg Marinovich
Passou 18 anos a documentar conflitos em todo o mundo. As fotografias apareceram em publicações internacionais como a Time, Newsweek, The New York Times, The Washington Post, Wall Street Journal, The Guardian of London entre outros. 

Greg Marinovich ferido com James Nachtwey - Africa do Sul 1994






 http://www.gregmarinovich.com/BLOG/
The Bang Bang Club Movie

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Lucas Mebrouk Dolega

O fotógrafo franco-alemão Lucas Mebrouk Dolega, que trabalhava para a agência EPA e tinha ficado gravemente ferido na Tunísia, morreu esta segunda-feira. A França condenou a “violência desproporcionada” e apelou a que sejam apuradas as circunstâncias da morte.


A morte de Lucas Dolega já tinha sido anunciada no domingo, mas foi desmentida mais tarde por informações que referiam que o fotógrafo estava gravemente ferido. Esta segunda-feira a agência EPA acabou por confirmar que Dolega, de 32 anos, morreu ao início da tarde.

“Recebemos a confirmação oficial de que Lucas Mebrouk Dolega morreu, adiantou uma responsável da EPA. A confirmação teve origem na embaixada francesa em Tunes e em informações dadas por familiares do fotógrafo, adiantou a AFP.

Lucas Mebrouk Dolega estava a acompanhar os protestos na Tunísia em frente ao Ministério do Interior tunisino quando foi atingido, na sexta-feira de manhã, por uma granada de gás lacrimogéneo atirada por um polícia, segundo o relato de um dos seus colegas, Julien Muguet.

O fotógrafo foi atingido numa orelha e na cabeça, do lado esquerdo. Foi operado no Instituto Nacional de Neurocirurgia de Tunes mas não resistiu aos ferimentos.

A França condenou o emprego de “uma violência desproporcionada” e apelou a que sejam esclarecidas as circunstâncias em que o fotógrafo foi ferido. “Reiteramos a nossa condenação de qualquer forma de violência e de uso da força que fez inúmeras vítimas na Tunísia nas últimas semanas”, adiantou à AFP o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros francês Bernard Valero. Também a organização Repórteres sem Fronteiras apelou a que sejam esclarecidas as circunstâncias da morte.

Nascido em Paris, filho de mãe alemã, Lucas Dolega trabalhava na agência EPA desde 2006.






quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Reza Deghati

Reza Deghati é um Iraniano-Francês fotojornalista, nascido em 1952.

Reza Deghati


Mundialmente conhecido pelo seu corajoso trabalho de capturar imagens nos mais exóticos locais, Reza, já cobriu grande parte do mundo para a National Geographic. Já foram produzidos vários filme para a National Geographic sobre o seu trabalho, o mais notável com o nome "Frontline Diaries", que venceu um Emmy Award em 2002.



Em 2001 fundou a Aina, uma ONG dedicada à educação e habilitação de mulheres e criança Afegãs.


Em 1991 serviu como consultou da ONU no Afeganistão, ajudando a distribuir comida à população devastada pela guerra. Pela sua dedicação a causas humanitárias e pelo seu trabalho com a Aina no Afeganistão, a National Geographic atribuiu-lhe o titulo de "National Geographic Fellow".

Dorothea Lange


Dorothea Lange era uma fotografa Americana nascida em 1895.
Depois de mais de uma década a fazer retratos de estúdio, Dorothea não mais resistiu ao "chamado das ruas" e começou a documentar o povo de San Francisco. Isto a levou para o Centro de Reabilitação Rural da Califórnia e dalí para a Farm Security Administration (FSA), onde juntamente com seu futuro marido, Paul Taylor, fotografou as ondas de migrantes rurais vítimas das péssimas condições económicas da época. Nos anos 30 percorreu vinte e dois estados do sul e oeste dos Estados Unidos onde recolheu imagens do impacto da Grande Depressão na vida dos camponeses.

Dorothea Lange
As fotos de Dorothea Lange diferenciavam-se basicamente pela sua postura de honestidade sem artifícios. Eram homens e mulheres pobres e desempregados, na maior parte das vezes sem esperanças, mas continuava sempre presente a dignidade, até mesmo um certo orgulho interior, que se revelava sem pudor para as lentes de Dorothea, mostrando inequívoca empatia entre fotógrafo e fotografado. Até hoje suas imagens são consideradas fiel retrato dos EUA pós-depressão.
Dorothea é a autora da foto "Mãe Emigrante" de 1936

Mãe Emigrante

O seu trabalho rendeu-lhe uma bolsa Guggenheim em 1941, mas a Segunda Guerra Mundial trouxe uma ruptura e um redirecionamento nas fotos de Dorothea. Trabalhando para a War Relocation Agency e para o Office of War Information, entre 1942 e 1945 passou a documentar os nipo-americanos forçados a viver em campos de concentração na Califórnia. Uma fase não menos importante de sua obra, mas convenientemente "esquecida" por muitos de seus compatriotas.



Problemas de saúde mantiveram Dorothea afastada das câmaras a seguir à guerra, e só voltou à activa no meio dos anos cinquenta, quando entrou para a equipe da prestigiada revista Life. 


Até sua morte em 1965, viajou pelo mundo na companhia do marido, fotografando principalmente a América do Sul, a Ásia e o Oriente Médio.




terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Carol Guzy

Carol Guzy, nascida em 1956 nos Estados Unidos, é uma fotojornalista vencedora por três vezes do prémio Pulitzer Prize.
Carol Guzy
Em 1990, foi a primeira mulher a verceira o "Newspaper Photographer of the Year Award" atribuído pela "National Press Photographers Association"



Robert Capa

Robert Capa era um fotografo Hungaro nascido em Budapeste em 1913. O seu nome verdadeiro é Endre Ernő Friedmann. Tornou-se um dos mais célebres fotógrafos de guerra ao cobrir diversos conflitos, como a Segunda Guerra Mundial na Europa, a Guerra Civil Espanhola ou a Segunda Guerra Sino-Japonesa.


Robert Capa


 A sua carreira de fotógrafo começa no fim do ano de 1931, uma vez que aparece a fotografar Leon Trótski, no meio de múltiplas dificuldades, durante um congresso em Copenhaga. O aparecimento do nazismo e a religião judaica de Robert fazem com que em 1932 ele tenha que deixar Berlim, dirigindo-se para Viena e depois, Paris.



Em Junho de 1944 participa no desembarque da Normandia, o Dia D. Depois da guerra, com David Seymour, Henri Cartier-Bresson e George Rodger, funda a Agência Magnum (constituída oficialmente em 1947). Nos primeiros tempos, ocupa-se na organização da estrutura, partindo em seguida para o "terreno".
Capa morreu na Guerra da Indochina, em 25 de maio de 1954, ao pisar uma mina terrestre.



segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Zoriah Miller

Zoriah Miller, nascido em 1976, é um fotojornalista de guerra Americano. trabalhou para a Cruz Vermelha antes de regressar à fotografia depois de uma longa paragem. Contudo, trabalhou como freelancer para alguma angências.
Zoriah Miller

Em 2010, Miller, ganhou o prémio PhotoPhilanthropy Activist Award pelo seu trabalhou sobre a fome em África. Mesmo assim, a sua carreira não deu nas vistas até 2005, quando as suas fotos do tsunami saíram na Newsweek.




Miller especializou-se na cobertura de crises humanitárias. Já cobriu desastre, crises sociais e conflitos à volta do mundo. 


http://www.zoriah.com

Jonathan Klein: Imagens que mudaram o mundo

Kevin Carter

Kevin Carter, nascido em Setembro de 1960, era um fotografo Sul Africano, várias vezes premiado, e membro do grupo Bang Bang Club.
Kevin Carter
Em março de 1993, Carter fez uma viagem para o sul do Sudão. O som de choramingar macio perto da vila de Ayod atraiu Carter a uma criança sudanesa. A menina havia parado para descansar ao esforçar-se para chegar a um centro de alimentação, onde um abutre tinha aterrado próximo. Ele disse que esperou aproximadamente 20 minutos, a esperar que o abutre abrisse as asas. Não o fez. Carter tirou a fotografia e perseguiu o abutre para afastá-lo. Entretanto foi criticado por somente estar fotografando e não ajudando a pequena menina.

A foto foi vendida ao The New York Times onde apareceu pela primeira vez em 26 de março de 1993. Praticamente durante a noite toda centenas de pessoas contactaram o jornal para perguntar se a criança tinha sobrevivido, levando o jornal a criar uma nota especial dizendo que a menina tinha força suficiente para fugir do abutre, mas que o seu destino final era desconhecido.




 Em 2 de abril de 1994 Nancy Buirski, um editor estrangeiro de fotografias do New York Times, telefonou para Carter para informar que ele tinha ganho o mais cobiçado prémio de fotografia. Carter foi premiado com o Prémio Pulitzer por Recurso Fotográfico em 23 de maio de 1994 na Universidade de Colúmbia em Nova Iorque.

Em 27 de julho de 1994 levou seu carro até um local da sua infância e suicidou-se utilizando uma mangueira para levar a fumaça do escape para dentro de seu carro. Ele morreu envenenado por monóxido de carbono aos 33 anos de idade. Partes da nota de suicídio de Carter dizia:

"Estou deprimido… Sem telefone… Sem dinheiro para o aluguer.. Sem dinheiro para ajudar as crianças… Sem dinheiro para as dívidas… Dinheiro!!!… Sou perseguido pela viva lembrança de assassinatos, cadáveres, raiva e dor… Pelas crianças feridas ou famintas… Pelos homens malucos com o dedo no gatilho, muitas vezes policiais, carrascos… Se eu tiver sorte, vou me juntar ao Ken…"


domingo, 16 de janeiro de 2011

João Silva

João Silva, nascido em 1966 em Lisboa, é um fotojornalista Português, do New York Times, internacionalmente consagrado.  Notabilizou-se pelo seu trabalho em cenários de guerra, bem como pelo acompanhamento que fez do fim do apartheid na África do Sul, sendo um dos 4 membros do "Big Bang Club". Em Outubro de 2010 foi vitima de uma vitima mina anti-pessoal no Afeganistão.

João Silva
João Silva trabalhou em inumeras regiões do mundo, onde se incloui os Balcãs, Ásia Central, Rússia e o Médio Oriente. As suas fotos ganharam, também diversos prémios entre os quais World Press Photo.



World Press Photo -  2º Prémio em Problemas Contemporâneos 
Menção Honrosa World Press Photo




Acting Despite the fear
http://www.joaosilva.co.za/
http://joaosilva.photoshelter.com/

Steve McCurry

 O nome até pode não ser muito familiar para a maioria das pessoas, mas a foto da menina Afegã tornou-se famosa em todo o mundo. Steve McCurry, nascido em 1950 na Pennsylvania, graduou-se em artes cénicas em 1974 e o interesse pela fotografia surgiu ao produzir imagens para o jornal The Daily Collegian.
Steve McCurry
Steve começou a sua carreira de fotojornalista cobrindo a invasão soviética ao Afeganistão. McCurry utilizou vestimentas típicas para se disfarçar e esconder seu equipamento. As suas imagens estavam entre as primeiras do conflito e por isso foram largamente publicadas. Sua cobertura acabou ganhando a Medalha de Ouro Robert Capa de melhor reportagem fotográfica no exterior.

Menina Afegã - 1985
Menina Afegã - 2002
McCurry continuou a fotografar conflitos internacionais no Afeganistão noutros países como Camboja, Filipinas, Líbano, além da guerra Irão-Iraque e na guerra do Golfo. Steve publicou as suas fotos em revistas do mundo todo e contribui frequentemente para a revista National Geographic.


Apesar de mais de 25 anos fotografando terríveis momentos de sofrimento e guerra, Steve não se sentiu totalmente preparado para o maior acontecimento de sua vida, a tragédia ocorrida em 11 de Setembro. Steve foi um dos primeiros a registar o terrível momento e, mesmo sabendo que seu melhor amigo tinha sido morto na tragédia, teve que deixar a tristeza de lado e deixar o profissionalismo falar mais alto... a dor? Deixaria para depois, algo que seria inevitável...